O que é a carteira de investimentos – e porque é essencial diversificá-la?

Você tem uma carteira de investimentos? Entenda a importância de diversificar seus investimentos ao invés de apostar todas as fichas em um só lugar.

Quando começamos algo novo, não é incomum dedicarmos nossa plena atenção à sua realização, desconsiderando o todo que o abrange. O que é normal, afinal, queremos ver aquilo dando certo. Na mesma lógica, ao falarmos do mercado de ações, quem está começando tende a concentrar seus esforços em investir em ações de um ou outro negócio potencialmente promissor, sem ir muito a fundo ou traçar um plano para seu investimento. Tudo precisa começar por algum lugar, mas se você almeja ter sucesso neste âmbito, precisa entender o que é a carteira de investimentos e a importância de diversificá-la.

>> Você também vai gostar de ler: Por que ter uma tese de investimentos é crucial? 

O que é uma carteira de investimentos?

Carteira ou portfólio de investimentos nada mais é do que o conjunto de todas as aplicações realizadas por um investidor, sem deixar nenhuma de fora – desde títulos públicos a fundos imobiliários ou ações de empresas. O conceito pode até parecer simples, mas há vários fatores que devem ser considerados ao elaborar uma carteira de investimentos. Dentre eles, destacam-se os objetivos e o tempo de retorno esperado, o patrimônio e o perfil do investidor.

Por levar em conta tantos fatores, compor a carteira de investimentos acaba sendo uma prática bastante particular e a qual demanda tempo. No entanto, a prática é essencial, afinal, um portfólio bem diversificado poderá atender às expectativas do investidor, aumentando os ganhos e compensando os riscos proporcionados pela volubilidade de se investir. Sem contar o fato de trazer maior segurança para suas decisões financeiras.

A importância da diversificação

Certamente você já ouviu o ditado: “Não coloque todos os ovos numa mesma cesta.” Já corriqueiro no mundo dos investimentos, ele diz respeito a uma das razões mais óbvias para se diversificar. Se os ovos fossem o patrimônio pronto para ser investido e você, um investidor entusiasmado, resolvesse pô-lo inteiro em um só lugar, as chances de perdê-lo de uma vez num tropeço do mercado de ações ou diante de alguma crise inesperada seriam altas.  

Isso pode parecer óbvio ao se investir em ações ou qualquer ativo. No entanto, muitas vezes as oportunidades do mercado podem ser tentadoras, principalmente para quem está começando ou mesmo para quem já possui certa experiência. Independente do nível de conhecimento ou experiência, é imprescindível que se pense a carteira de investimentos com cuidado, deixando de ser recomendável apostar todo seu patrimônio em um único ativo, em ativos expostos aos mesmos riscos ou mesmo em uma única classe. Isso é necessário para dentre outros fatores, trazer mais liquidez e ganhos no curto, médio e longo prazo.

Além de diversificar, é importante ter uma carteira de investimentos que esteja vinculada à sua zona de interesses, a setores que lhe interessem e sobre os quais você tenha conhecimento ou vontade de aprender. Isso porque toda aplicação demanda uma boa pesquisa do setor e tudo que a engloba, e sendo pertinente ficar atento às mudanças e novidades que podem abalar o mercado ou lançar certo investimento à lua.

Como diversificar seu portfólio

Outra grande vantagem da diversificação é o balanceamento entre distintos tipos de rentabilidade, liquidez e risco de cada tipo de investimento. Um portfólio bem distribuído é aquele que possibilita aproveitar o melhor de cada tipo de aplicação, de modo a trazer mais segurança financeira e estabilidade ao investidor. Por exemplo, ter um investimento de renda fixa e com uma liquidez razoável, proporciona mais segurança para o investidor ousar tentar um investimento de alto risco, mas de altíssimo retorno. Uma vez que a rentabilidade deste pode compensar o risco de uma inflação ou situação que afetaria ou anularia o baixo retorno do primeiro caso.

Outra preocupação a considerar é o rendimento. É interessante escolher sua carteira de investimentos pensando no retorno a curto, médio e longo prazo. Isso ajuda a alcançar seus objetivos desejados – não adianta investir em algo de longo prazo com baixa liquidez se você planeja fazer uma viagem com as crianças. Deve-se estudar e ponderar com cuidado, levando em conta todos os detalhes pertinentes.

Repare que diversificar não significa chutar o balde e investir em ações ignorando seu perfil de investidor e interesses. Pelo contrário: a diversificação é uma forma de viabilizar que seus investimentos sem perder de vista o sentido desejado, seja você mais conservador, moderado ou mais radical quanto aos ganhos e risco.

Esse fator é tão pertinente que, hoje, é uma exigência da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) que instituições financeiras que trabalham com investimento disponham o questionário de perfil de investidor (ou Suitability) antes de realizarem suas operações. Muitas dessas instituições também listam modelos e sugestões de carteiras de investimentos a serem seguidos, mas lembre-se de que o essencial é que a carteira seja ideal para você e lhe proporcione os maiores benefícios.

>>Leia também: Guardar dinheiro debaixo do colchão ou investir agressivamente? Qual é seu perfil de investidor?

Leia também