Mulheres Investidoras: O crescimento de um novo perfil no mercado financeiro 

mulher analisando dados no seu smartphone enquanto sorri

O número de mulheres inseridas no mundo dos investimentos tem crescido a cada ano. Confira as principais características de seu perfil 

No Dia Internacional da Mulher, muito falamos sobre as conquistas do passado. Mas, tão importante quanto isso é poder vislumbrar o futuro reconhecendo os avanços e mudanças significativas na participação feminina em todas as esferas da sociedade. Um dos exemplos mais marcantes dessas transformações é o aumento progressivo no número de mulheres ingressando no mundo dos investimentos. 

Embora ainda predominantemente masculino, o cenário dos investimentos tem testemunhado nos últimos dez anos um incremento constante e notável na presença feminina. Embora quase três quartos das brasileiras ainda permaneçam à margem desse universo, é animador observar que a cada ano mais mulheres se juntam a esse movimento de crescimento. 

Uma métrica tangível desse avanço é o aumento no número de mulheres investindo na B3, a bolsa de valores brasileira. Na última década, tem-se observado um crescimento contínuo nesse aspecto. Atualmente, as mulheres representam cerca de 25% dos investidores pessoa física na bolsa de valores do Brasil. Em 2023, mais de 1,4 milhão de mulheres investiram na bolsa, movimentando expressivos 123,86 bilhões de reais. 

É interessante notar que, na B3, o tesouro direto se destaca como a modalidade favorita das mulheres, representando 37% dos investimentos femininos nesse setor. Já no que diz respeito ao mercado de ações, a preferência feminina gira em torno de 25%. 

Além dos números, há nuances no perfil das mulheres investidoras que merecem destaque. Elas tendem a priorizar a economia de dinheiro em relação aos homens, demonstrando um interesse particular em pesquisar e entender as formas de aplicar seu dinheiro antes de se sentirem seguras para investir. Essa abordagem cautelosa e ponderada contribui para sua eficácia como investidoras. 

Invista como uma mulher!

A abordagem das mulheres investidoras é caracterizada por uma série de elementos que contrastam com os padrões mais comuns observados entre os investidores tradicionalmente masculinos. Ao optarem por investir com paciência, cautela e controle emocional, as mulheres demonstram uma propensão a tomar decisões de investimento de forma mais ponderada e estratégica. 

Em vez de cederem à impulsividade e à busca por lucros rápidos, as mulheres tendem a adotar uma postura realista, reconhecendo os limites e as incertezas do mercado financeiro. Essa abordagem prudente se manifesta também na menor propensão ao risco, refletindo um enfoque no pensamento a longo prazo e na preservação do capital investido. 

Uma das características distintivas das mulheres investidoras é sua visão do investimento como um meio para atingir objetivos específicos, como proporcionar segurança financeira para suas famílias. Essa perspectiva orientada para objetivos contribui para uma abordagem mais focada e disciplinada na seleção de investimentos. 

Além disso, as mulheres tendem a dedicar mais tempo à pesquisa e análise antes de tomar decisões de investimento, formulando perguntas pertinentes e procurando entender profundamente as oportunidades e os riscos envolvidos. Esse compromisso com a diligência prévia contribui para uma maior consistência e performance no longo prazo. 

Por fim, as mulheres também se destacam pela sua menor propensão a realizar negociações frequentes e por permanecerem mais tempo em uma mesma aplicação. Essa abordagem mais estável e menos especulativa tende a gerar resultados mais favoráveis ao longo do tempo, em contraste com a tendência dos investidores masculinos de buscar lucros rápidos através de operações mais frequentes e especulativas. 

Para se inspirar e se divertir

Descubra mais sobre o universo do mercado financeiro através de produções cinematográficas que exploram o papel das mulheres nesse cenário. “Rainhas da Bolsa” e “Mercado de Capitais” são exemplos inspiradores que abordam a jornada desafiadora de mulheres em posições de destaque no mundo dos investimentos.  

Rainhas da Bolsa (The Exchange): Inspirada em fatos reais e ambientada no Kuwait do final dos anos 1980, a série acompanha o cotidiano de duas mulheres, uma delas mãe da própria roteirista, que foram pioneiras no mercado de ações daquele país. Elas enfrentam barreiras em um ambiente hostil e predominantemente masculino, precisando romper com clichês e preconceitos para provarem que eram aptas e capazes de trabalharem em patamar de igualdade com os homens. (disponível na netflix)  

Mercado de Capitais (Equity): Não é baseado em fatos reais, mas poderia muito bem ser!  O filme foi financiado por cerca de 25 mulheres que já trabalharam em Wall Street e que dividiram com a roteirista situações pelas quais passaram e as dificuldades de se trabalhar na área.  Ele narra a trajetória de uma mulher em um cargo de alto escalão em um banco de investimentos especializado em IPOs. Enquanto aguarda há anos por sua promoção, ela precisa lidar com um erro de avaliação em seu último processo de abertura de capital, o qual custou milhões de dólares à sua empresa e afetou profundamente sua reputação profissional. (disponível na prime) 

*este post foi feito em colaboração com WIT-wealth, investments & trust

Leia também