Investimentos Alternativos: O que são e por que investir? 

Os investimentos alternativos são ativos financeiros que se diferenciam das opções tradicionais, oferecendo uma diversidade de estratégias e oportunidades de investimento únicas para explorar. 

Cada vez mais investidores têm percebido a importância de diversificar suas carteiras. Neste processo, os mais arrojados e dispostos ao risco, estão se deparando com uma classe de ativos que se distancia do mercado convencional, oferecendo perspectivas únicas e vantajosas. 

São os chamados investimentos alternativos, que se destacam por seguir um caminho distinto dos investimentos tradicionais. Este conceito abrange as opções de mercado que não estão atreladas aos ativos convencionais, como ações e títulos públicos. 

Por serem não convencionais, geralmente não são encontrados em bancos ou corretoras comuns, mas em plataformas especializadas, o que traz um elemento de exclusividade. 

Entre as vantagens desta modalidade, destacam-se o acesso a oportunidades únicas, alta lucratividade e forte potencial inovador. 

Os investimentos alternativos estão transformando o cenário dos mercados financeiros. Para investidores experientes ou novatos explorando o vasto mundo do capital, considerar esses ativos em sua carteira pode ser uma jogada inteligente.  

Quer saber se os investimentos alternativos são adequados para você? Neste texto abordaremos os principais tipos de investimentos alternativos, as diferenças em relação aos investimentos tradicionais, questões como regulamentações e as tendências atuais. 

Leia também: Venture Capital em 2024: quais as expectativas para o mercado brasileiro 

O que são investimentos alternativos

Como discutido anteriormente, investimentos alternativos destacam-se por sua diferença em relação às opções de investimento tradicionais, como ações, títulos governamentais ou corporativos e fundos mútuos. Essa categoria abrange uma ampla gama de ativos e estratégias, incluindo: 

Imóveis: Investimentos em propriedades residenciais, comerciais ou fundos imobiliários. 

Capital Privado (Private Equity): Investimentos em empresas não listadas em bolsas de valores. 

Capital de Risco (Venture Capital): Investimentos em startups ou empresas em expansão com alto potencial de crescimento. 

Hedge Funds: Fundos que utilizam várias estratégias para gerar retornos, incluindo alavancagem, derivativos e posições curtas. 

Commodities: Investimentos em recursos naturais como ouro, petróleo, grãos, entre outros. 

Arte e Colecionáveis: Investimentos em obras de arte, carros antigos, vinhos raros e outros itens colecionáveis. 

Moedas Criptográficas (Criptoativos): Incluindo Bitcoin e outras criptomoedas. 

Dívida Distressed: Investimentos em dívidas de empresas em dificuldades financeiras. 

Derivativos: Contratos com valor derivado de outros ativos financeiros. 

Estes investimentos oferecem uma importante diversificação para portfólios, geralmente apresentando baixa correlação com os mercados de ações e títulos tradicionais. No entanto, sua complexidade, menor liquidez e perfil de risco elevado os tornam mais indicados para investidores com maior conhecimento de mercado ou que contam com assessoria especializada. 

Leia também: Venture capital: conheça essa modalidade de investimento 

Principais características dos investimentos alternativos

Uma das principais características dos investimentos alternativos diz respeito ao potencial de retorno elevados que eles carregam. No entanto, eles também trazem riscos proporcionalmente altos e complexidades estruturais.  

Um ponto importante a se considerar é a liquidez reduzida desses ativos. Tradicionalmente, o acesso a esses investimentos era limitado a investidores institucionais ou de alto patrimônio, devido aos elevados requisitos de investimento mínimo e à complexidade dos produtos. Contudo, com o surgimento de plataformas de investimento online, como a Organismo Investimentos, e a democratização do acesso ao mercado financeiro, essas oportunidades estão se tornando mais acessíveis a uma gama mais ampla de investidores. 

Investimentos alternativos representam um componente essencial para aqueles que buscam diversificação e um potencial de retorno melhorado em suas estratégias de investimento.  

É fundamental, contudo, que os investidores estejam plenamente conscientes das características únicas e dos riscos associados a esses tipos de investimentos antes de incorporá-los às suas carteiras. 

Leia também: O que é o Equity Crowdfunding? 

Diferenças entre Investimentos Alternativos e Tradicionais

As distinções entre investimentos alternativos e tradicionais são variadas e significativas. Uma das principais diferenças está na forma como cada um é acessado. Os investimentos tradicionais, como ações e títulos, são comumente negociados em corretoras ou na bolsa de valores. Por outro lado, os investimentos alternativos geralmente são encontrados em plataformas específicas, como a Organismo Investimentos, que se especializam em uma ou várias categorias desses ativos. 

Além disso, os ativos alternativos são designados como tal devido a uma série de características distintas, que incluem a maneira como são disponibilizados, a relação entre risco e retorno e a liquidez. Frequentemente, os investimentos alternativos oferecem potenciais de retorno mais elevados, mas com uma liquidez menor, o que pode aumentar o risco. 

Essas diferenças tornam os investimentos alternativos uma opção distinta e valiosa para diversificação de portfólios, contrastando com as características mais familiares dos investimentos tradicionais. É importante para os investidores entender essas diferenças ao considerar a inclusão de ativos alternativos em suas estratégias de investimento. 

Leia também: Bolsa instável? Conheça outra modalidade de investimentos rentáveis além do mercado de ações da B3 

Investimentos Alternativos são regulamentados?

Sim! Os investimentos alternativos, embora sejam alternativas ao mercado convencional, também estão sujeitos à regulação. No Brasil, eles são regulamentados pela Resolução 88 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o órgão encarregado de regulamentar, disciplinar e fiscalizar as ofertas públicas no mercado financeiro nacional. Essa regulamentação assegura que somente plataformas que recebem autorização da CVM possam disponibilizar esses tipos de investimentos ao mercado. 

Essa supervisão por parte da CVM é fundamental para garantir a segurança e a transparência nas transações envolvendo investimentos alternativos, proporcionando um ambiente mais seguro para os investidores que buscam explorar essas opções. A regulação também ajuda a manter a integridade do mercado financeiro e a proteger os interesses dos investidores. 

Leia também: Oito motivos para investir com a Organismo Investimentos 

Descubra o Potencial dos Investimentos Alternativos com a Organismo Investimentos

Na Organismo Investimentos, reconhecemos o impacto transformador dos investimentos alternativos. Somos uma plataforma regulada pela CVM, focada em apresentar oportunidades únicas em startups e empresas em expansão. Aqui, combinamos inovação e crescimento com investimentos inteligentes, criando um ambiente no qual esses dois elementos se complementam perfeitamente. 

Com uma abordagem criteriosa, selecionamos empresas em expansão que exibem um elevado potencial de crescimento. Nosso objetivo é disponibilizar a você oportunidades verdadeiramente diferenciadas, permitindo a diversificação da sua carteira com ativos de qualidade em uma ampla gama de setores. 

Na Organismo Investimentos, o nosso compromisso vai além de simplesmente investir em ativos; nosso foco está em investir em futuros promissores. Convidamos você a explorar nosso portfólio diversificado. Abra sua conta gratuitamente e descubra as opções que temos disponíveis em nossa plataforma. 

Venha fazer parte desta revolução financeira. Diversifique seu portfólio com a Organismo Investimentos. 

Leia também: Investir em pequenas empresas e startups vale a pena? 

Leia também