Ambev x cervejarias artesanais: Investir no grande ou apostar no pequeno?

Duas pessoas brindando com long necks de cerveja

Apesar de consolidada no mercado, não necessariamente a ABEV3 (Ambev) seja a melhor escolha para quem quer investir no setor.

Temas a serem abordados

O que faz a Ambev ser tão procurada pelos investidores?

Cervejarias artesanais são a grande tendência da última década, e até a Ambev já percebeu isso.

A entrada da Ambev no mercado artesanal

Se até a Ambev vem investindo em cervejas artesanais, por que não investir você também no setor?

O caso da BrewDog

O mercado de cerveja artesanal na Organismo

Ao pensarmos em mercado de cervejas, uma das principais empresas que vêm à nossa cabeça é a Ambev. A Companhia é uma das maiores marcas brasileiras e reúne a maior parte dos rótulos de cerveja do ramo, além de refrigerantes e isotônicos. Nascida da fusão entre a Antarctica e a Brahma em 1999, a Ambev tornou-se a primeira multinacional brasileira e a quinta maior produtora de bebidas no mundo. Nos anos subsequentes, adquiriu novas marcas, no Brasil e no exterior, e se consagrou como uma gigante no setor. Atualmente a Ambev faz parte do maior conglomerado de bebidas do mundo.

Em 2013 a companhia fez IPO na B3, e seus investidores e acionistas passaram a ter direito à divisão de lucros ao fim de cada ano. No entanto, como é característico da bolsa, as ações ficam à mercê da especulação, podendo variar de valor de acordo com as notícias reportadas pelo mercado. Em 2019 as ações chegaram a ser comercializadas a R$19,35; em março de 2020, como consequência do início da pandemia, caíram para R$11,92. Atualmente estão sendo comercializadas na casa dos R$13, após a crise da Americanas que refletiu também na Ambev.

O que faz a Ambev ser tão procurada pelos investidores?

Em primeiro lugar, ela é a única companhia de bebidas com ações abertas na bolsa brasileira. Em segundo, seu setor é um dos mais estáveis da economia e possui boa previsibilidade, uma vez que o consumo de bebidas não é algo cíclico. E por fim, por ser uma gigante no setor, a tendência é que ela sempre gere boas divisões de lucro a seus investidores.

No entanto, justamente por já ser uma empresa consolidada, dificilmente seus investidores alcançarão retornos significativos se levarmos em consideração somente os valores das ações, a não ser que aproveitem as “baixas” do mercado, como ocorreu no início da pandemia. 

Por ser uma gigante e estar em um setor com boa previsibilidade de receitas, uma vez que o consumo de bebidas não é algo cíclico, empresas como a Ambev tendem a continuar gerando lucro a seus investidores. No entanto, justamente por já ser uma empresa consolidada, dificilmente seus investidores alcançarão retornos significativos se levarmos em consideração somente os valores das ações, a não ser que aproveitem as “baixas” do mercado, como ocorreu no início da pandemia. 

Esse é um dos principais contrapontos de comprar ações da Ambev ao invés de investir em cervejarias menores, que ainda estão em fase de expansão, como é o caso das cervejarias artesanais. Investir em negócios que ainda estão conquistando progressivamente seu share no mercado é a oportunidade de comprar cotas a um valuation relativamente baixo e poder lucrar conforme a expansão for se consolidando e consequentemente seu valor de mercado aumentar.

Cervejarias artesanais são a grande tendência da última década, e até a Ambev já percebeu isso.

Em seu portfólio, a Ambev carrega algumas das marcas mais conhecidas e consolidadas do país. Dentre elas destacam-se a Brahma, Skol, Antarctica, Bohemia e Original. No entanto, todas elas se enquadram na categoria mainstream, ou seja, convencionais. Contudo, nos últimos anos o mercado tem registrado um aumento significativo na busca por produtos artesanais e premium. E por estar atenta a essas atualizações, a Ambev também está direcionando parte de suas estratégias para o setor artesanal.

Você também vai gostar de ler: Cervejarias artesanais – porque são uma boa opção de investimento

A entrada da Ambev no mercado artesanal

  Em 2015 a Ambev formalizou sua entrada no setor a partir da aquisição de duas cervejarias artesanais já consolidadas. A primeira delas foi a mineira Wäls e, poucos meses depois, a Ambev adquiriu a Colorado, uma cervejaria premium de Ribeirão Preto. Na época, Jorge Paulo Lemann, um dos donos da Ambev, declarou que o impulso para a aquisição ocorreu quando ele participou de uma reunião em um restaurante, que contava mais de 20 marcas em sua carta de bebidas, e no entanto nenhuma era de sua companhia. Percebendo que a maioria eram marcas artesanais, resolveu mergulhar nas aquisições para conquistar mercado.

Inclusive, em 2018, Lemann declarou, em uma entrevista concedida ao portal Infomoney, que, se houver qualquer cerveja artesanal boa no Brasil ou na Argentina, a Ambev a compra na hora! Desde as primeiras aquisições em 2015, a companhia já adquiriu mais de 20 marcas artesanais.

Se até a Ambev vem investindo em cervejas artesanais, por que não investir você também no setor?

Nos últimos anos, o padrão de consumo de bebidas alcoólicas tem se transformado. A tendência mundial tem sido a de priorizar a qualidade ao invés da quantidade. Com isso,  o consumo de cerveja artesanal cresceu expressivamente tornando-a uma excelente opção de investimento.

A partir de dados publicados pela consultoria internacional IWRS, o setor de cerveja artesanal tem previsão de crescimento anual de 5% nos próximos cinco anos, com um faturamento esperado de U$ 210,78 bilhões até 2028. Isso se dá pela tendência dos consumidores buscarem produtos de maior qualidade: “beber menos, mas melhor.”

Leia também: Grandes marcas impulsionam mercado de cerveja premium no Brasil e cervejarias artesanais crescem junto

O caso da BrewDog

Diante disso, cada vez mais cervejarias locais têm buscado aporte de capital para expandir suas operações e colocarem-se de forma mais competitiva no mercado premium e artesanal. Um caso emblemático de cervejaria artesanal que cresceu enormemente é da escocesa BrewDog. A cervejaria realizou sua primeira captação através do equity crowdfunding em 2010. Na época, a cervejaria foi avaliada em 23 milhões de libras. Anos mais tarde, em 2017, um fundo de investimentos americano arrematou 22% da marca. Os investidores, que embarcaram no projeto sete anos antes e quiseram aproveitar a oportunidade para vender suas ações, receberam em um valor 28 vezes maior que o investido.

Desde sua primeira rodada de investimento a empresa já arrecadou cerca de U$ 95 milhões em investimentos por meio do equity crowdfunding. Em entrevista à Forbes, James Watt, um dos fundadores da marca, disse que a modalidade “é um modelo de negócios incrível”. Segundo Watt, os investidores passam a ser vistos como embaixadores da marca, defendendo-a e ajudando em sua divulgação. “Eles estão nessa jornada conosco,  são o coração e a alma do nosso negócio”, completa. Atualmente a BrewDog conta com cerca de 120 mil investidores / embaixadores apaixonados por suas cervejas.

O mercado de cerveja artesanal na Organismo

O caso da BrewDog reflete os pontos positivos do método equity crowdfunding de investimento. Ao investir nessa modalidade os investidores não têm a divisão de lucros ao fim de cada ano. Mas por outro lado, por se tratarem de empresas em expansão a chance de se obter um lucro considerável em uma possível venda é bastante alta. 

No caso desta modalidade, é preciso entender que o tempo de retorno do investimento é maior do que o das ações da bolsa. E da mesma maneira que ocorre na B3, também é possível vender as cotas adquiridas caso seja o desejo do investidor. Isso ocorre através do chamado mercado subsequente, que possibilita realizar a liquidez do investimento. No entanto, a concretização da venda pode ser um pouco mais demorada uma vez que ela é restrita aos investidores ativos cadastrados na plataforma que está comercializando as cotas.

 Em consideração às tendências do mercado, a Organismo Investimentos mantém sua atenção em potenciais empresas para abertura de capital. O setor das cervejas artesanais é o que mais tem crescido no mercado cervejeiro nos últimos 10 anos. Com isso em mente, identificamos uma oportunidade para investir no setor: a BIERINBOX, uma cervejaria artesanal de Paulínia – SP.

A cervejaria possui uma operação sólida, produz cerca de 25 mil litros/mês e atualmente é comercializada em mais de 100 pontos comerciais, dentre eles o Sam’s Clube.

No final de 2022 a cervejaria abriu captação na plataforma da Organismo para iniciar seu projeto de expansão. A ideia é dobrar a capacidade produtiva e expandir sua área de atuação nos grandes centros, ganhando assim maior representatividade.

Na plataforma da Organismo é possível encontrar todos os documentos referentes à oferta da BIERINBOX. Conheça e invista!

Leia também