A importância do 5G para o desenvolvimento da Indústria 4.0

chip intitulado 5G, conectado em um sistema computacional, remetendo a um futuro mais conectado e amplo com a chegada dessa tecnologia

O 5G deverá ser ferramenta fundamental para a Internet das Coisas (IoT) e, consequentemente, para a Quarta Revolução Industrial

Nos últimos dias publicamos duas grandes tendências que valem a pena ficar de olho em 2023: a Indústria 4.0 e a IoT. A tecnologia sem dúvida continuará a impactar cada vez mais o modo de se viver, e o desenvolvimento do 5G favorece  a construção do cenário ideal para o desenvolvimento de novas tecnologias.

Com toda certeza você já ouviu falar sobre o 5G, a rede de quinta geração que promete acelerar as conexões de internet. Mais do que isso, o 5G também tem proporcionado uma cobertura mais abrangente e eficiente, assim como permitindo maiores transferências de dados, conexões e usuários simultâneos.

Atualmente, no Brasil, a rede 5G vem sendo implementada aos poucos: algumas capitais como Brasília, Porto Alegre, João Pessoa, Belo Horizonte e São Paulo foram as primeiras cidades a receber antenas 5G. Segundo o Movimento Antene-se, o país conta atualmente com 241 municípios com legislação atualizada para receber o 5G; juntos, esses municípios alcançam 34% da população brasileira. A expectativa é que até 2028 todo o território brasileiro esteja apto e/ou conectado a essa nova tecnologia.

Um relatório da empresa de telecomunicações Ericsson prevê que, até 2030, o 5G mobilize mais de US$ 31 trilhões (aproximadamente R$ 166 trilhões) ao redor do mundo. Só no Brasil, o impacto da rede pode chegar a R$ 133 bilhões nos próximos quatro anos, segundo dados da consultoria IDC. Além disso, um levantamento feito pelo Ministério da Economia em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), afirma que o uso do 5G poderá movimentar até R$ 590 bilhões por ano.

Os dados e o impacto gerado pelo 5G se deve ao fato de que sua conexão mais rápida possibilitará um desenvolvimento acelerado na Indústria 4.0 e suas ferramentas. De acordo com Fabiano Dell Agnolo, diretor executivo da associação de empreendedorismo Join.Valle, em entrevista concedida à Valor Investe, a rede 5G “abrirá portas e ajudará no alcance da maturidade digital nas indústrias e negócios em geral”. Dell Agnolo ainda aponta que “a análise de dados é essencial para um bom funcionamento das empresas e, com a chegada do 5G, a distribuição de informações das máquinas para a nuvem será otimizada. Agora, o objetivo é ampliar o acesso ao 5G e tornar possível essa hiperconexão.”

Uma ferramenta da Indústria 4.0 que irá se beneficiar enormemente da expansão da rede 5G é a Internet das Coisas (IoT), que consiste na integração de objetos – dentre eles maquinários, sistemas, gestores, etc. – através de sensores. Advinda da necessidade de conectar tanto pessoas como objetos, o 5G garante o cenário ideal para o desenvolvimento da Internet das Coisas.

A IoT é uma ferramenta que consiste na integração das coisas (maquinário, sistemas, gestores, etc.) – como o nome bem diz – através de sensores, e é ferramenta fundamental para o desenvolvimento e evolução da Indústria 4.0. Contudo, com uma rede mais limitada – como a atual 4G ou até o Wi-fi –, algumas aplicações da IoT são difíceis de serem alcançadas, o que será solucionado com uma atualização da conexão.

Para entender melhor o impacto e a diferença proporcionados pelo 5G, vamos a números: um roteador doméstico possui capacidade para aguentar cerca de 250 conexões em uma área limitada; as redes 4G suportam por volta de 10 mil aparelhos conectados por quilômetro quadrado, o que equivale a 1% da habilidade total do 5G, capaz de comportar 1 milhão de conexões por quilômetro quadrado.

Além disso, o volume de dados é bastante discrepante entre as redes: uma rede 4G leva cerca de 54 milissegundos para processar um download de 1GB, enquanto uma rede 5G processa 20GB em 2 milissegundos, e com 99,9% de segurança.

Em um mercado em que a digitalização se faz tão importante, o 5G surge como grande aliado da IoT, permitindo a conexão dos objetos, capaz de reunir e transmitir dados com maior segurança. Pode ser utilizada para conectar sistemas dentro da indústria, no chão de fábrica, como integrar tecnologias das cidades, como semáforos, e até mesmo dispositivos domésticos – assistentes de voz e sistemas de segurança. A partir de uma pesquisa realizada pela Statista, até 2023 o mercado de IoT deve movimentar cerca de US$ 32 bilhões somente na América Latina. 

A Organismo Investimentos está sempre atenta às tendências do mercado e busca sempre trazer as melhores oportunidades em investimentos para compor seu portfólio. Fique de olho pois em breve traremos novidades!

Conteúdos relacionados:

Veja os conteúdos relacionados a essas ofertas que separamos para você.

Leia também