A hora e a vez da alimentação saudável

mesa com prato de comida saudável, rodeado de legumes coloridos

A nova tendência no consumo de alimentos no Brasil pós-pandemia ganha força nos últimos anos e proporciona alta demanda para redes de alimentação saudável.

As franquias estão tão presentes em nossas vidas hoje que, por vezes, sequer chegamos a ouvir do que se tratam para já entendê-las. Numa definição mais objetiva, o franchising, o sistema de franquias, consiste numa prática em que um franqueador concede o direito de uso de uma marca ou patente a um franqueado.  Em contrapartida, este pode utilizar-se do direito de comercialização de seus bens ou serviços exclusivos. 

Essa relação gera benefício às duas partes, uma vez que o franqueado pode investir numa unidade de uma rede já conhecida e consolidada no mercado, e o franqueador pode ocupar-se do investimento na própria rede, supervisionando a gestão das unidades, desenvolvendo novos processos e ações de marketing.

Esse modelo não é novidade, mas vem tendo um grande crescimento no país nos últimos anos, sendo um sucesso principalmente no que diz respeito à expansão de negócios. Muitos fatores podem explicar essa tendência, mas a praticidade e o custo-benefício de uma franquia em comparação a uma filial, ao se considerar ainda que o investimento em infraestrutura torna-se responsabilidade do franqueado, sem dúvida são motivações consideráveis na hora de se pensar o investimento.

Leia também: Começando pelo básico: conceitos-chave do mundo dos investimentos

Mudança de hábitos alimentares da população brasileira faz crescer a busca por alimentos saudáveis

Utilizadas em redes de fast food nos shoppings e centros comerciais do Brasil e do mundo todo, as franquias do ramo são favorecidas pelo aumento no consumo de alimentos fora de casa nos últimos anos, tal como revela a pesquisa da Revista e-Humanitas, publicada pela Unisalesiano. As pesquisadoras apontaram também que essa tendência é acompanhada por outra, que vem se mostrando uma preocupação do consumidor brasileiro: a de se alimentar bem. 

O resultado foi também apresentado na pesquisa realizada pela Fiesp/Ibope e divulgada no Brasil Food Trends 2020. O projeto, destinado a trazer a público as principais análises que vêm sendo feitas sobre o consumo de alimentos brasileiro,  evidenciou o forte potencial de crescimento que a tendência a uma alimentação pautada na Saudabilidade e Bem-Estar e na Sustentabilidade e Ética vem tendo. Segundo a pesquisa, hoje essa tendência corresponde a 21% do mercado consumidor. 

O estudo trouxe ainda que 53% dos brasileiros tendem a almoçar fora de casa ao menos um dia na semana. Nesse cenário,  lanchonetes e redes de fast food surgem como a segunda opção mais procurada, com 19%, ficando atrás apenas dos restaurantes por quilo, que lideram com 27%.

O que há por trás da nova tendência

Impactados por uma pandemia que surpreendeu e adulterou nossos planos e rotinas, vivemos um cenário hoje em que novos anseios e questionamentos ocupam o cerne do consumidor brasileiro. Nesse sentido, saúde e bem-estar se tornaram meta da maior parte da população. 

A Pesquisa Global de Sentimento do Consumidor, realizada pelo Instituto Kantar, revelou que melhorar ou manter a saúde e o bem-estar são os focos de 91% dos brasileiros. Isso vai ao encontro com dados do Ministério da Saúde coletados em 2021, que demonstram que 57,25% da população brasileira se apresenta acima do peso. Não bastasse este dado, casos de alergias e intolerâncias, constantemente associados ao consumo de alimentos ultraprocessados dispararam na pandemia. Tudo isso contribuiu para aumentar ainda mais a preocupação com uma alimentação mais saudável.

Essa discussão é também acompanhada pela mudança alimentar de parte da população. Nos últimos anos, muitas pessoas passaram a encontrar no vegetarianismo e no veganismo um caminho para uma alimentação mais consciente. Segundo dados da Ibope Inteligência de 2018, 14% da população brasileira já assume a dieta. Esta foi a última pesquisa séria realizada sobre o tema, no entanto, é muito provavel que hoje a porcentagem esteja  ainda maior. Somam-se a essa pauta consumidores que anseiam por mais alimentos orgânicos e fitness, que entram na ideia de uma alimentação mais saudável e natural.

Franquias investem na demanda crescente do mercado

As mudanças nos hábitos alimentares têm impactado não apenas o consumo individual, mas também o mercado de alimentos. Como consequência, novas opções para uma alimentação saudável têm surgido nos últimos anos. 

Todo esse cenário contribuiu para a difusão de um novo tipo de franquia, que já vinha se estabelecendo na última década: a de alimentação saudável. Para atender a crescente demanda de público, sobretudo no pós-pandemia, as franquias do setor têm se proliferado em centros e shoppings por todo o país. Segundo dados da Euromonitor International, em 2020 o setor faturou cerca de R$100 bilhões só no Brasil. 

De acordo com a ABF, o ramo de franquias de alimentação saudável cresceu 98% nos últimos anos. Além disso, a produção de alimentos para consumo domiciliar aumentou em 22,62% . Já o número de restaurantes especializados em comida natural cresceram em 28,44%, no primeiro semestre de 2021, de acordo com dados da pesquisa.

Oportunidade de investimento no setor

Diante das mudanças crescentes nos hábitos alimentares e da demanda cada vez maior por alimentos saudáveis, é essencial considerar o setor de alimentação saudável como uma opção promissora e rentável para investir. De acordo com dados que comprovam o crescimento expressivo do setor nos últimos anos, investir nesse mercado é uma decisão inteligente e estratégica. A Organismo está atenta a esse movimento do mercado e em breve trará novidades. Portanto, se você quer fazer parte desse mercado em expansão fique de olho em nossas redes para não perder nenhuma oportunidade.

Leia também: Conheça a Organismo Investimentos

Leia também